Grupo Pão de Açúcar














Um Breve Histórico do Grupo Pão de Açúcar

Em setembro de 1948 tem início a História do Grupo Pão de Açúcar. Em pouco mais de 60 anos, a empresa, que sempre manteve um olhar atento aos desejos dos seus consumidores, vai construindo sua história, marcada por inovações, responsabilidade socioambiental e compromisso com o Brasil.

Antes disso, em 25 de novembro de 1929, Valentim dos Santos Diniz, imigrante português, desembarca no Brasil, com um grande sonho que se materializava na construção de um negócio próprio e que viria a se concretizar 19 anos depois da sua chegada, como resultado de muito esforço e trabalho.

Com a experiência e recursos financeiros provenientes de seu trabalho no comércio de São Paulo, onde se instalou desde que chegou de Portugal, Valentim Diniz decide inaugurar a Doceira Pão de Açúcar. O nome, uma homenagem ao País que o acolheu, vem de um dos pontos turísticos mais importantes do país, a primeira paisagem admirada por ele em sua chegada de navio ao Brasil.

Imagem Doceria / Pág História

Na doceira já era possível observar a vocação da empresa em servir. Serviços de buffet e uma grande variedade em produtos artesanais faziam sucesso na cidade e logo o negócio cresceu, ganhando duas filiais, inauguradas em 1952.

O negócio cresceu e a cidade, que nessa época já apresentava nítidos sinais de modernidade, carecia de ambientes de compra mais adequados aos novos tempos. Idealizado pelo Sr. Santos, que teve seu filho primogênito, Abilio Diniz, à frente do projeto, foi inaugurado o primeiro supermercado Pão de Açúcar, localizado ao lado da Doceira matriz, na Avenida Brigadeiro Luiz Antonio, no bairro dos Jardins. O sistema de auto-serviço passou a ser adotado e a necessidade em atender a crescente demanda populacional tornou-se foco, como modelo estratégico para evolução e aprimoramento do negócio.

A expansão começa a partir daí, percebida claramente ao final da década de 1960, onde o Grupo Pão de Açúcar já conta com mais de 50 lojas em 17 cidades de São Paulo. Em 1970, inaugura sua primeira loja no exterior na cidade de Lisboa em Portugal.

Em 1971, a expansão continua com o lançamento da marca Jumbo, primeiro hipermercado do Grupo Pão de Açúcar, em Santo André, região do ABC Paulista. Com enorme variedade de produtos, e uma loja ampla, com estacionamento para os clientes, nasce como novidade no Brasil.

Em 1976, o grupo adquire a maior rede de eletroeletrônicos e eletrodomésticos do país, a Eletroradiobraz. Ainda nessa década, investe em outros ramos de atividade, como restaurante, turismo, lanchonetes, pesca, veículos etc. e continua com diversas aquisições na área de supermercados em diferentes estados brasileiros.

Além dos supermercados Pão de Açúcar e dos hipermercados Jumbo, novos formatos de loja são incorporadas na década seguinte: Sandiz - lojas de departamento, o Minibox, mercearias de desconto, o Superbox, loja depósito e o Peg & Faça – de bricolagem. Em 1981 a fusão de todas as lojas de varejo da rede, formam a Companhia Brasileira de Distribuição – CBD.

Ao final da década de 1980 o Grupo inaugura uma nova geração de hipermercados, o Extra que, com o fechamento das lojas Jumbo torna-se o único hipermercado da rede. No final dessa década, desentendimentos familiares, aliados a movimentos conjunturais políticos que desfavoreciam o crescimento da economia nacional, motivaram mudanças estratégicas de comando. O Grupo seguiu um forte projeto de reestruturação comandada pelo primogênito da família Diniz – Abilio Diniz - que em 1990 assume a presidência da empresa e o Sr. Santos passa a ocupar o Conselho Administrativo da CBD.

Com a reestruturação em vigência e já apresentando fortes sinais de crescimento, o Grupo reforça seu posicionamento inovador e passa a atuar com fortes diferenciais de mercado. Um dos ícones desse movimento é o lançamento do primeiro serviço de ouvidoria do varejo brasileiro, com o cargo de ombudsman, em 1993. Esse canal permite à empresa se antecipar aos desejos dos seus clientes e criar formatos de lojas adequados às suas expectativas. Outro exemplo que demonstra o forte caráter de inovação da Companhia é o lançamento do primeiro supermercado virtual do País, com o lançamento do Pão de Açúcar Delivery.

Diversas aquisições e arrendamento de novas lojas foram importantes para a ascensão do grupo. Em 1995 a Companhia abre seu capital, na Bolsa de Valores de São Paulo, e dois anos depois torna-se a primeira empresa varejista nacional a operar na Bolsa de Valores de Nova York. E, seguindo seu propósito de crescimento, associa-se ao grupo varejista francês Casino, em 1999.

Em 1998 com a aquisição de diversos supermercados atuantes em bairros, direcionados a classes populares, o Grupo Pão de Açúcar compra a rede Barateiro de supermercados, com forte atuação junto a classe C, cada vez mais em expansão no País e por meio da qual, o Grupo definiu sua estratégia de penetração e atendimento das classes populares. Num movimento estratégico, a empresa consolida essa atuação e cria a divisão CompreBem.

Um avanço no processo de profissionalização do Grupo Pão de Açúcar é realizado em 2003, com a eleição do seu primeiro presidente não pertencente a família fundadora e Abilio Diniz assume a presidência do Conselho de Administração da Companhia. Nesse mesmo ano, no Rio de Janeiro, é anunciada a fusão com o grupo Sendas, rede fluminense com forte tradição regional que consolida a posição do Grupo no mercado carioca. Reforçando seu posicionamento multiformato, a companhia cria um grande diferencial perante a concorrência, atendendo a diferentes perfis de consumidores, em diversos locais. As operações, nesta época, dividem-se em: Pão de Açúcar, supermercado de vizinhança, atuante nas classes A/B; CompreBem e Sendas, supermercados que atendem à classe média popular; hipermercados Extra, com uma enorme diversidade de produtos, oferecido em um só local; e as lojas de eletroeletrônicos Extra Eletro.

A partir de 2004, como forma estratégica para expansão e permanência na liderança no mercado varejista nacional, o grupo Casino aumenta sua participação na Companhia intensificando a sinergia entre as duas empresas. Em 2007, dando prosseguimento aos avanços no processo de profissionalização e governança corporativa, Claudio Galeazzi assume a presidência do Grupo, no lugar de Cássio Casseb. Junto com o time de executivos do Grupo Pão de Açúcar, é realizado um profundo e importante movimento de reestruturação que cria bases para o crescimento da companhia, com expansão de vendas e lojas, intensificação do programa de controle e redução de despesas, ganhos de eficiência e melhoria do retorno sobre capital investido. Também entre as atribuições do novo presidente está a missão de desenvolver um sucessor, proveniente do quadro de executivos da empresa.

No final de 2007, a empresa dá um importante passo e se associa ao Assai, tradicional rede atacadista paulista com 14 lojas presentes no Estado de S. Paulo. O negócio permite a entrada da empresa em um segmento de forte expansão no País, impulsionado pelas melhores condições econômicas que estimulam o empreendedorismo e a expansão dos pequenos negócios – publico alvo da rede. Dois anos depois, o Grupo adquire os 40% de participação restantes no Assai e assume integralmente a empresa que, nesta ocasião, já conta com 40 lojas e presença nos Estados do Ceará e Rio de Janeiro.

Em 7 de setembro de 2008 o Grupo Pão de Açúcar celebrou 60 de anos: “Poucas empresas chegam aos 60 anos fortes, bem sucedidas, e apresentando boas vendas e excelentes resultados”. Essa frase de Abilio Diniz denota a sólida posição da empresa. O evento é comemorado com ações institucionais e forte apelo promocional, quando é realizada a primeira grande campanha transversal do Grupo, envolvendo simultaneamente todas as suas marcas e formatos de negócio, incluindo as operações de comércio eletrônico: www.paodeacucar.com.br e www.extra.com.br.

Em 2009, O Grupo Pão de Açúcar anuncia a compra da rede Ponto Frio e reafirma seu compromisso em ampliar a participação de não alimentos, especialmente eletroeletrônicos, dentro do seu portfólio. Com a aquisição, a companhia reassume a liderança do varejo brasileiro, com mais de 1.000 lojas e 79 mil funcionários.

Em março de 2010 o Grupo Pão de Açúcar anuncia seu novo organograma. Dentro do compromisso assumido por Claudio Galeazzi na eleição e preparação de um sucessor, no prazo de dois anos, Enéas Pestana assume como Diretor Presidente da Companhia. Galeazzi permanece à frente dos projetos da consultoria Galeazzi & Associados no Grupo e participa do Conselho de Administração como convidado.

A nomeação de Enéas Pestana está em conformidade com o planejamento sucessório definido pelo Grupo, dando continuidade aos avanços dos últimos anos. Para Abilio Diniz, a nova estrutura representa a conclusão do trabalho de profissionalização iniciado por ele em 2003.

 

CRONOLOGIA

1940 – Em 1948, o imigrante português Valentim dos Santos Diniz funda a doceira Pão de Açúcar. Era o início de um dos maiores grupos empresariais brasileiros, que não só desempenhasse suas funções comerciais, mas também cumprisse uma função social.

1950 – Com o desenvolvimento dos negócios, após quatro anos foram abertas duas filiais e, em 1959, é inaugurado o primeiro supermercado da rede.

1960 – Após a incorporação da cadeia Sirva-se, em 1965, a rede chegava a 11 lojas. No ano seguinte, é inaugurada em Santos a primeira loja fora da cidade de São Paulo. Em 1968, quando a rede já era composta por 64 lojas, foi criada a Divisão Internacional, fazendo com que as lojas do Grupo Pão de Açúcar (GPA) chegassem a Portugal, Angola e Espanha.

1970 – Na década de 70, o Grupo passou por uma grande expansão, com a aquisição da rede Eletroradiobraz e com a inauguração da primeira geração de hipermercados do país, as lojas Jumbo. Em 1978, as redes de supermercados Superbom, Peg-pag e Mercantil são adquiridas. E, em 1979, inaugura a rede Minibox, um conceito de lojas despojadas, com um número reduzido de itens e preços muito competitivos, direcionadas à população de baixa renda.

1980 – A diversificação dos negócios é marcada pela aquisição de cinco lojas do Bazar 13 e mais seis da rede Morita. Em 1980, são inaugurados os dois primeiros Superbox, um novo conceito de grandes depósitos de produtos alimentícios, que alcançou muito sucesso e logo se somaram mais nove lojas. Em 1989, O Grupo começa a atuar fortemente no cenário dos hipermercados de segunda geração com a criação das lojas Extra, que além de operarem com grandes áreas de vendas, oferecem tecnologia de ponta e uma grande variedade de produtos.

1990 – Para resgatar a eficiência perdida em seu rápido crescimento, o Grupo Pão de Açúcar começou os anos de 1990 fazendo uma enorme reengenharia, norteada pela concentração de seus negócios no varejo alimentício. Ao final deste processo, passou a operar com quatro formatos de loja: Pão de Açúcar, Extra, Superbox e Eletro.

1995 – Com o objetivo de obter fundos para financiar sua expansão, organizou sua oferta pública inicial, em outubro de 1995, na qual obteve US$ 112,1 milhões. Esta foi a primeira emissão de ações preferenciais de uma companhia varejista de alimentos na Bolsa de Valores de São Paulo – Bovespa.

1997 – Em maio de 1997, foram captados US$ 172,5 milhões na NYSE (primeiras ADRs listadas na Bolsa de Nova York por uma empresa varejista brasileira). No mesmo ano, o modelo de operação independente de lojas foi substituído por um sistema mais centralizado, com a responsabilidade pelas compras sendo transferida para a divisão Comercial. A distribuição e outras funções administrativas também foram centralizadas, em busca de maior economia de escala.

1998 – O formato das lojas foi ajustado de acordo com as expectativas e necessidades dos diferentes segmentos da população: Pão de Açúcar para um público com maior poder aquisitivo e Barateiro, adquirido em 1998, com alvo nas classes de renda mais baixa.

1999 – Em fevereiro de 1999 foi adquirida a rede Peralta de Supermercados, composta por 37 supermercados e 1 hipermercado. Em agosto do mesmo ano, associou-se ao Grupo francês Casino, adquirindo 24,5% do controle (faturamento em 2006 de €$ 35.064 milhões).

2000 – Os principais investimentos do Grupo Pão de Açúcar em 2000 foram direcionados para aquisições, reformas, conversões e abertura de novas de lojas, o que fez superar suas metas de crescimento estabelecidas para o ano. Foram abertas 16 novas lojas e adquiridas outras 64, resultando em um aumento de 23% na área de vendas. As principais redes adquiridas foram: Reimberg e Nagumo, na cidade de São Paulo; Parati, em Curitiba (PR); Rosado, na região do Vale do Paraíba (SP) e Mercadinho São Luiz, em Fortaleza (CE). Nesse mesmo ano o Grupo, reforçou sua estrutura de distribuição e de tecnologia: além da construção de um novo Data Center, foram abertos três novos centros de distribuição no Estado de São Paulo, além de depósitos regionais em Brasília, Curitiba e Fortaleza, totalizando uma área de distribuição de cerca de 350 mil metros quadrados.

2001 – O formato Barateiro foi relançado com uma maior variedade de produtos e equilíbrio entre marcas líderes de mercado, marcas próprias e produtos de baixo preço. Em novembro, foram adquiridas 26 lojas da rede Supermercados ABC, no Estado do Rio de Janeiro.

2002 – No mês de junho, o Grupo adquire a rede Sé Supermercados, com 60 lojas em operação em 16 municípios do Estado de São Paulo e faturamento bruto de R$ 1 bilhão. Outro fato importante do ano foi a reintegração de 12 lojas, em Recife (PE), da Rede CompreBem, com área total de vendas de 11.840 metros quadrados e faturamento bruto de R$ 122,2 milhões.

2003 – Em dezembro de 2003, associa-se à rede Sendas, líder do segmento no Estado do Rio de Janeiro, com o objetivo de fortalecer sua participação na região e consolidar a liderança no mercado nacional.

2004 – Em 2004, fechou parceria com o Itaú, segundo maior banco privado do país em ativos totais, para a criação de uma nova companhia direcionada à ampliação de produtos e serviços financeiros oferecidos aos seus clientes.

2005 – Em 2005 demos um passo importante no sentido da perpetuação do Grupo Pão de Açúcar e alinhamento de interesses entre acionistas controladores e minoritários. Com a criação de uma nova holding, o controle do Grupo passou a ser compartilhado de forma igualitária (50% para cada) entre Abilio Diniz e o Grupo Casino.

2006 – Para fazer parte do segmento de varejo que mais cresce no país nos últimos anos – o de lojas com até quatro check-outs –, o Grupo Pão de Açúcar criou o Extra Perto – um novo modelo de loja, inspirado no modelo europeu de varejo de conveniência.

2007 - Cláudio Galeazzi assume a presidência e integra o time de executivos do Grupo Pão de Açúcar.

2008 - O Grupo Pão de Açúcar perde seu fundador aos 17 dias do mês de março de 2008, aos 94 anos. Valentim Dos Santos Diniz, o imigrante português, foi um dos grandes precursores do varejo brasileiro.
É inaugurada, em Indaiatuba, a primeira loja verde da América Latina, o Pão de Açúcar Indaiatuba que reune práticas bem sucedidas de consumo consciente e lança novas ações na área da cadeia de valor do varejo mais sustentável.

2009 - Num movimento estratégico  de fortalecimento de sua posição no segmento de atacarejo, o Grupo Pão de Açúcar  assume as ações restantes do Assaí  Comercial e Importadora Ltda.
Anunciada a aquisição do Ponto Frio (Globex Utilidades S/A e suas controladas).  O negócio reafirma o compromisso da empresa em crescer no segmento de não alimentos e coloca o Grupo na liderança do varejo brasileiro, com cerca de R$ 26 bilhões de faturamento, mais de 1.000 lojas e 79 mil funcionários.
Os mais tradicionais e bem-sucedidos grupos varejistas do Brasil  -  Grupo Pão de Açúcar e Casas Bahia – se unem para avançar em uma história de comprometimento com o País e com os brasileiros e colocam a Companhia na posição de maior Grupo de Distribuição da América Latina.

2010 - O Grupo Pão de Açúcar anuncia seu novo organograma, Enéas Pestana assume como Diretor Presidente da Companhia (CEO – Chief Executive Officer).
Estendendo sua política de responsabilidade socioambiental, o Grupo inaugura seu primeiro Centro de Distribuição Verde, em Brasília.
A Companhia inicia o projeto de conversão de 170 lojas das bandeiras CompreBem, Sendas e ABC CompreBem para o novo formado Extra Supermercado.  

 




Contador de páginas